SINSPEB alerta para suposto surto de Covid-19 no Conjunto Penal Feminino

O Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado da Bahia (SINSPEB) denuncia um iminente foco de contaminação pelo Covid-19 no Conjunto Penal Feminino, localizado no Complexo Penitenciário de Salvador, atualmente com 10 (dez) casos confirmados, sendo 04 (quatro) servidoras e 06 (seis) internas. O SINSPEB teme uma propagação descontrolada, pois há dezenas de casos suspeitos e nenhuma medida enérgica vêm sendo adotada, transformando a unidade prisional num vetor de contaminação.

O CPF abriga pessoas privadas de liberdade, do sexo feminino, nos regimes semiaberto, fechado e provisório, com capacidade para 132 vagas, abrigando atualmente 113 internas, segundo dados do site da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (SEAP).

Alertamos que o Conjunto Penal Feminino funciona de forma conjugada com a Central Médica Penitenciária (CMP), tendo acesso em comum de transeuntes, circulando presos e servidores de todas as unidades prisionais de Salvador, motivo pelo qual os cuidados naquele ambiente devem ser redobrados para salvaguardar a saúde de todos.

Mesmo em meio ao alto índice de contaminação pela Covid-19, nenhum protocolo sanitário foi estabelecido para evitar que a unidade se transforme numa verdadeira bomba-relógio do Covid-19, pois ficou evidenciada nas diversas vistorias realizadas, em todas as unidades baianas, a falta de fornecimento de máscaras, luvas, qualquer tipo de EPI’s, material de higienização e assepsia, desinfecção dos ambientes, verificação de temperatura e saturação diária, e a falta de testagem de todos os personagens do sistema prisional baiano.

A tendência é que a situação se agrave, devido às internas que testaram positivo, estarem isoladas na própria unidade, pois na Unidade Prisional Extraordinária (UPE), criada para receber exclusivamente pessoas privadas de liberdade diagnosticadas com sintomas do novo coronavírus, não há vagas para pacientes do sexo feminino.

Em virtude dos últimos surtos de Covid-19 registrados nas Unidades Prisionais da Bahia, conforme denuncia recente no Conjunto Penal de Jequié, com 54 casos confirmados, além do risco do colapso no sistema de saúde, o SINSPEB protocolou ofício junto à SEAP requerendo a manutenção da suspensão das visitas até que todos os servidores penitenciários e a população carcerária sejam imunizados e a execução do protocolo de prevenção ao Coronavírus, assegurado o fornecimento de máscaras, protetores faciais, luvas, matérias de higiene e assepsia tais como álcool em gel, sabão líquido, e procedimentos de desinfecção diários dos ambientes prisionais.

 

Ascom – SINSPEB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *